Como elaborar um laudo técnico eficiente?

Certifique-se de saber exatamente o que o cliente deseja

Um relatório técnico nada mais é do que a avaliação de uma pessoa qualificada sobre um problema ou situação. Na engenharia civil, eles são treinados por engenheiros qualificados que farão pesquisas no local e apresentarão os resultados das análises com base no conhecimento técnico e na experiência.

Pode ter vários fins, como verificar a viabilidade de um projeto ou verificar as causas patológicas. Portanto, existem diferentes tipos, como B. relatório de reforma, motivos legais, avaliação de propriedade, etc.

São muito importantes para diferentes soluções, evitam problemas e interferem diretamente na escolha da melhor solução, por isso a solução deve ser trabalhada de forma clara e eficaz.

Defina métodos para levantamento dos dados

Depois de o cliente entender claramente os objetivos do relatório técnico, é necessário definir a forma de coleta de dados, ou seja, deve ser criado um formulário de coleta de informações relevantes para uma avaliação eficaz do incidente.

A abordagem preliminar é perguntar ao requerente se há algum problema de projeto no passado e se ele foi revisado para verificar isso. É importante entender a história da obra para entender seu comportamento ao longo do tempo, prever problemas e antecipar soluções.

Quanto mais simples for a situação, mais fácil será entender e analisar o caso. Além disso, é necessário avaliar as necessidades de testes, diagnósticos, monitoramentos, etc. De acordo com a finalidade do relatório técnico.

Cada um desses mecanismos deve obedecer a padrões e protocolos que produzam resultados satisfatórios e confiáveis. Também é importante registrar tudo o que foi usado (incluindo todos os testes, testes e equipamentos) e indicar os métodos usados.

Priorize a objetividade do laudo

Os laudos técnicos devem sempre priorizar a objetividade das informações, pois o cliente busca relatos esclarecedores e de fácil compreensão. Documentos excessivamente longos tornam a leitura cansativa e são mais propícios a erros de escrita e repetição de informações. Com isso, é possível que o leitor não acesse os principais dados do laudo e se sinta insatisfeito com o conteúdo.

Para que um laudo cumpra seus objetivos, seja efetivo e de qualidade, é indispensável que o profissional tenha domínio técnico, fundamente as avaliações e consiga de forma clara e objetiva relatar as conclusões. As informações precisam ser relevantes para o cliente, esclarecer os acontecimentos e atender às necessidades do solicitante.

Saiba qual estrutura adotar

É importante definir a estrutura dos laudos técnicos a ser adotada de forma que garanta a sua organização e atenda às necessidades do cliente. Questionar o solicitante sobre suas preferências, se existe algum modelo específico ou regras predefinidas a serem seguidas é válido para que o trabalho seja efetivo.

Apesar de variar em alguns casos, de maneira geral, a estrutura é padrão: capa, falsa folha de rosto, resumo, sumário, introdução, lista de tabelas, gráficos, siglas e abreviações, desenvolvimento, apêndices, conclusões e referências. Também é interessante constar registros fotográficos da situação, indicando e descrevendo detalhadamente os pontos identificados e analisados.

Toda a estrutura influencia no entendimento do leitor. Por exemplo, o sumário auxilia na busca de informações específicas, as fotografias ajudam na identificação dos problemas, o resumo consta dados preliminares relevantes e assim por diante.

Atente-se à linguagem utilizada e aos critérios de formatação

Outros pontos importantes para laudos técnicos de qualidade são a linguagem utilizada e os critérios de formatação. Por se tratar de um documento específico de uma área profissional, os termos são muito técnicos, mas o cliente pode não se familiarizar com o assunto.

Por isso, é fundamental ponderar a linguagem utilizada e direcioná-la para seu público-alvo, usando um vocabulário mais claro, simples e entendível, de forma que o leitor compreenda sem muita dificuldade. No caso de termos técnicos, é recomendável explicá-los com uma linguagem mais cotidiana e prática. Também é aconselhável evitar abreviaturas, pois podem ser mal-interpretadas ou não entendidas.

Por se tratar de um documento profissional, é de extrema importância interessar-se pelas regras gramaticais e ortográficas e se informar principalmente sobre a última reforma ortográfica para elaborar um documento coerente e gramaticalmente adequado.

Os critérios de formatação também devem ser respeitados, pois a forma de apresentação é tão importante quanto o conteúdo. Um laudo organizado e com boa fluidez de leitura se torna muito mais atrativo, com maiores chances de ser lido e compreendido. Caso não tenha nenhuma base de formatação, utilize o padrão referente à fonte (Times News Roman), tamanho da fonte (12 pt), espaçamento entre linhas (1,5 cm), margem superior (2,5 cm), inferior (2,5 cm), direta (2,5 cm) e esquerda (3,5 cm).

Como visto, elaborar laudos técnicos eficientes não é tão simples, mas é possível. Diante do grau de importância que eles exercem na construção civil, seja na tomada de decisão, na constatação das causas de um problema ou na definição das soluções mais adequadas, é fundamental ter conhecimento, dedicação e comprometimento em sua elaboração. Para isso, é preciso se capacitar e desenvolver as habilidades técnicas necessárias.

Via: IBEC e Tudo Engenharia



Deixe um comentário

Open chat