Por que a avaliação de imóveis é importante?

Avaliação da Imóveis: se é o comprador ou o proprietário, esta é uma questão básica. Portanto, a transação será realizada de forma transparente e segura e trará bons resultados para sua imobiliária.

Desde que sejam profissionais treinados e possuam um conhecimento profundo do mercado. Essa avaliação pode ser utilizada para valorizar os imóveis de forma justa e consistente com o mercado, melhorando assim o relacionamento entre compradores e vendedores.

Neste artigo, você estudará esse conceito, explicará por que ele é tão importante e quais fatores precisam ser considerados.

O que é a avaliação de imóveis e como ela é feita?

Muitas vezes, a avaliação de imóveis pode ser confundida com a vistoria, mas há diferenças básicas entre elas, em especial nos seus objetivos. A vistoria elabora uma verificação minuciosa da habitação para descrever suas condições de conservação, se há itens que precisam de reparos, entre outras, para que não haja discordâncias ou prejuízos entre as partes durante ou após a transação de venda ou locação.

Já a avaliação de imóveis é uma análise que leva em conta tanto as características do bem quanto fatores externos e de mercado que contribuem para que ele possa ser precificado de forma adequada e justa. Quando é feita corretamente, contribui para que as negociações ocorram com mais tranquilidade e eficiência, tendendo a haver menos questionamentos.

A tabela do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci) determina o valor que deve ser cobrado pelo profissional para fazer a avaliação de um imóvel. Ela varia em cada estado, mas costuma girar em 1% do valor da habitação, se for feita por escrito, ou uma anuidade do Creci para pareceres verbais.

Um profissional de imóveis que pretenda elaborar Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica, que é o documento que determina o preço de um bem imobiliário, deve ter o título de avaliador imobiliário. Ele pode ser obtido pelos alunos com especialização oferecida pelo Conselho Federal de Corretores de Imóveis (Cofeci) ou por meio do ensino superior em gestão imobiliária.

O parecer técnico é exigido em casos mais formais, como ações judiciais, divórcio ou partilha. No dia a dia da imobiliária, é possível que o profissional faça a avaliação de imóveis informalmente, oferecendo uma sugestão de preço aos proprietários, de acordo com seu conhecimento do mercado imobiliário.

Qual a importância de fazer a avaliação de um imóvel?

Para as pessoas que desejam comprar um imóvel, a avaliação feita de forma mais profissional, levando em conta todas as características do bem e os fatores que influenciam em sua valorização, tanto interna quanto externamente, é essencial para que a negociação possa ser feita mais estrategicamente. Ela ajuda a analisar se o valor pedido pelo proprietário está de acordo com o mercado, com as condições da habitação, sua localização etc.

Um bom exemplo disso ocorre se o valor apresentado for menor do que o sugerido no laudo de avaliação. Nesse caso, é bom apressar a negociação: afinal, você pode estar diante de uma excelente oportunidade, pois o potencial de valorização após a compra é grande.

Já no caso contrário, quando o bem está mais caro do que a sua avaliação, há margem para negociar um desconto ou melhores condições de pagamento. O laudo oferece, portanto, referência de preços que podem ajudar a investir melhor.

E para o vendedor?

O proprietário do imóvel tem a vantagem de determinar um preço justo e compatível com o mercado onde o bem está inserindo, tornando as transações mais próximas da realidade. Essa segurança fará com que a venda não fique comprometida. Além disso, a avaliação de imóveis elimina as chances de vender o bem por valores abaixo do que o mercado determina, comprometendo seu patrimônio.

Lembre-se, apenas, de que a avaliação de imóveis apresenta uma referência de preço a ser cobrado. Porém, há outras questões que podem afetar a decisão, como a pressa para vender o bem ou a demanda mercadológica.

Veja, em resumo, quais as vantagens de ter o imóvel avaliado corretamente:

  • ajuda a definir o valor ideal do imóvel;
  • analisa, em detalhes, as condições estruturais do bem;
  • verifica quais são os pontos de melhorias para que ele seja vendido com mais facilidade;
  • ajuda a identificar os pontos críticos, que podem determinar sua desvalorização futura;
  • garante a segurança na negociação, tanto para a imobiliária quanto para o proprietário e o comprador.

Como fazer uma boa avaliação de imóveis?

Como mencionamos, a avaliação de imóveis deve ser feita por um profissional capacitado, com conhecimento profundo do mercado onde atua. Assim, terá condições de fazer uma análise realista e que possa ajudar nas negociações, tanto para quem compra quanto para quem vende.

Alguns fatores não podem ser negligenciados nesse parecer, como localização, condições do imóvel, estrutura, entre outros. Vamos detalhar um pouco mais esses quesitos, mostrando a você pontos importantes que devem ser verificados, além da análise de mercado.

Fazer uma avaliação completa

Um dos pontos mais importantes na avaliação de imóveis está relacionado ao que a pessoa responsável verifica na vistoria do bem. Afinal, mesmo nas habitações que apresentam boas condições, muitas vezes é preciso fazer pequenas manutenções preventivas enquanto ele não é vendido para evitar sua desvalorização.

Tudo o que puder ser apontado pelo possível comprador como forma de obter algum tipo de desconto na negociação, sob o pretexto de que terá gastos no futuro, deve ser apontado nessa avaliação. Pontos críticos, como janelas quebradas ou com esquadrias muito antigas, azulejos defeituosos, encanamento e instalação elétrica fora dos padrões, entre outros, podem ser melhorados para que o preço do imóvel fique mais alto.

É bom ter em mente que a pessoa que compra um imóvel, provavelmente terá o desejo de fazer uma reforma. Porém, se isso for uma necessidade, então o valor se perde. Outras questões que devem fazer parte dessa análise, antes de colocar a propriedade à venda:

  • rachaduras nas paredes ou comprometimento na estrutura;
  • infiltrações e vazamentos;
  • estado da pintura e manutenção das reformas feitas anteriormente;
  • idade do imóvel;
  • personalização e qualidade dos acabamentos, entre outros.

Via: Banib



Deixe um comentário

Open chat