Qual escolher para a avaliação do imóvel: Corretor de Imóveis ou Engenheiro

Na avaliação de imóveis, quem contratar?

Sempre houve questionamento de qual profissional deveria fazer avaliação de imóveis. No entanto, hoje vamos tecer comentários acerca dos Engenheiros e Corretores de Imóveis para contribuir com a discussão.

Sobre os Engenheiros

Os engenheiros têm entre as suas atribuições, a realização de estudos, projetos, análises, avaliações, vistorias, pareceres e divulgação técnica. Todas essas atividades são regulamentadas pela lei 5.194/66.

Portanto, não é correto afirmar que o exercício da atividade de avaliação de imóveis não compete (também) aos engenheiros.

A verdade, é que para se definir o valor mercadológico de um imóvel, exige-se muito mais que opiniões. Ou seja, são necessários conhecimentos técnicos e científicos que são inerentes e exclusivos desses profissionais.

Os engenheiros possuem conhecimentos intrínsecos e extrínsecos dos imóveis, como por exemplo: A infraestrutura e equipamentos urbanos, diretrizes municipais de projeto para a ocupação do solo, projetos, qualidade dos acabamentos, patologias, vícios e danos construtivos, durabilidade, necessidades e custos de reformas ou recuperações, conforto térmico e acústico  etc.

No entanto, cabe ressaltar que os engenheiros não são partes envolvidas nas operações. Portanto, eles não possuem quaisquer interesses quanto ao êxito ou não dessas transações. Ou seja, seus honorários são fixados independentemente da conclusão ou não do negócio.

Sobre os Corretores de Imóveis

Em muitas vezes, as avaliações dos corretores se fundamentam em opiniões e precificação comparativas de mercados, controlados pela lei da oferta e demanda. No que diz respeito aos aspectos técnicos, como qualidade da construção, eles não possuem a mesma fundamentação dos Engenheiros.

De toda forma, uma avaliação mercadológica realizada por engenheiro pode estar fora do real valor que os clientes estariam dispostos a pagar, para mais ou para menos.

Além do preço material atinente ao imóvel, o valor do mesmo pode variar conforme a economia local e nacional se comportam. Além disso, variáveis como taxa de juros, disponibilidade de comércios, bairros cobiçados, acessos, dentre outras variáveis, podem ser melhor percebidas pelos Corretores de Imóveis.

Conclusão: Contratar um Engenheiro ou Corretor para avaliação de imóveis?

Assim, cabe a cada um fazer a seguinte escolha: O imóvel seria melhor avaliado com base nos aspectos técnicos (construtivos), por engenheiros; ou, seria melhor avaliado pelos corretores, com base nos preços que as pessoas estão dispostas a pagar e em imóveis que parecem ser semelhantes?

Reflexão para finalizar o assunto sobre avaliação de imóveis

Existe uma diferença entre preço e valor:

  • Preço é a grandeza fundamentada nos aspectos exclusivamente técnicos;
  • Valor é algo subjetivo, que retrata a importância daquele imóvel ante à visão de mundo e anseios da pessoa.

Há pessoas que pagam preços superiores ao que seriam avaliados porque o valor (sentimento) ele vai além dos quesitos técnicos.

Via: Patrimoniando, MK e Amaral



Deixe um comentário

Open chat